Arquivo do autor:Mitta

Curiosidade – O Amanhecer parte 2 é consagrado o pior filme do ano pelo Framboesa de Ouro 2013

Por incrível que pareça o filme mais esperado do ano frustrou alguns espectadores, “O Amanhecer parte II”, para aqueles que leram e acompanharam a saga até agora não saíram satisfeitos com o resultado final do último filme da serie. E o reflexo disso resultou no Fambroesa de Ouro (Razzie Awards), prêmio para os piores do cinema hollywoodiano que normalmente ocorre uma noite antes da entrega do Oscar. E na ultima edição o grande campeão foi o final da Saga Crepúsculo. Amanhecer – Parte 2 que faturou sete prêmios, incluindo pior filme, diretor, atriz e ator coadjuvante.

Confira abaixo a lista completa dos vencedores.

 

Pior Filme

  • Battleship – A Batalha dos Mares
  • A Saga Crepúsculo: Amanhecer – Parte 2
  • The Oogieloves in Big Balloon Adventure
  • Este é o Meu Garoto
  • As Mil Palavras

Pior Diretor

  • Sean Anders – Este é o Meu Garoto
  • Peter Berg – Battleship – A Batalha dos Mares
  • Bill Condon – A Saga Crepúsculo: Amanhecer – Parte 2
  • Tyler Perry – Good Deeds / Madea’s Witness Protection
  • John Putch – Atlas Shrugged: Part II

Pior Atriz

  • Katherine Heigl – Como Agarrar meu Ex-Namorado
  • Milla Jovovich – Resident Evil 5: Retribuição
  • Tyler Perry – Madea’s Witness Protection
  • Kristen Stewart – A Saga Crepúsculo: Amanhecer – Parte 2 / Branca de Neve e o Caçador
  • Barbra Streisand – The Guilt Trip

Pior Ator

  • Nicolas Cage – Motoqueiro Fantasma: Espírito de Vingança / O Pacto
  • Eddie Murphy – As Mil Palavras
  • Robert Pattinson – A Saga Crepúsculo: Amanhecer – Parte 2
  • Adam Sandler – Este é o Meu Garoto
  • Tyler Perry – A Sombra do Inimigo / Good Deeds

 

Pior Atriz Coadjuvante

  • Jessica Biel – Playing For Keeps / O Vingador do Futuro
  • Brooklyn Decker – Battleship – A Batalha dos Mares / O Que Esperar Quando Você Está Esperando
  • Rihanna – Battleship
  • Ashley Greene – A Saga Crepúsculo: Amanhecer – Parte 2
  • Jennifer Lopez – O Que Esperar Quando Você Está Esperando

Pior Ator Coadjuvante

  • David Hasselhoff – Piranha 3-DD
  • Taylor Lautner – A Saga Crepúsculo: Amanhecer – Parte 2
  • Liam Neeson – Battleship / Fúria de Titãs 2
  • Nick Swardson – Este é o Meu Garoto
  • Vanilla Ice – Este é o Meu Garoto

 

Pior Elenco

  • Battleship – A Batalha dos Mares
  • The Oogieloves in Big Balloon Adventure
  • Este é o Meu Garoto
  • A Saga Crepúsculo: Amanhecer – Parte 2
  • Madea’s Witness Protection

Pior Roteiro

  • Atlas Shrugged Part II
  • Battleship – A Batalha dos Mares
  • Este é o Meu Garoto
  • As Mil Palavras
  • A Saga Crepúsculo: Amanhecer – Parte 2

Pior Remake, Cópia ou Sequência

  • Motoqueiro Fantasma: Espírito de Vingança
  • Piranha 3-DD
  • Amanhecer Violento
  • A Saga Crepúsculo: Amanhecer – Parte 2
  • Madea’s Witness Protection

Pior Dupla

  • Qualquer dupla de Jersey Shore em Os Três Patetas
  • Mackenzie Foy e Taylor Lautner em A Saga Crepúsculo: Amanhecer – Parte 2
  • Robert Pattinson e Kristen Stewart em A Saga Crepúsculo: Amanhecer – Parte 2
  • Tyler Perry e seu disfarce em Madea’s Witness Protection
  • Adam Sandler e Andy Samberg, Leighton Meester ou Susan Sarandon em Este é o Meu Garoto

 

Pois é, talvez se você for muito fã da saga não queira admitir esses erros, mas se olhar com um olhar pouco mais critico verá que houve muitas faltas na produção desse filme, e que ao meu ver poderia ter sido muito melhor e nãofoi o suficiente para suprir as expectativas acumuladas durante todo o tempo de espera para os fãs  que aguardaram o lançamento deste ultimo e talvez mais esperado filme da serie crepúsculo.

A FONTE DOS SENTIMENTOS

Image

Os sentimentos existem desde o início da existência humana e se definem como informações que seres biológicos são capazes de sentir nas situações que vivenciam, as pessoas costumam dizer que são emoções que vem teoricamente do coração, isso deve-se ao fato do coração simbolizar a vida e ser um dos órgãos do corpo de maior importância e assim, explicar a irracionalidade dos sentimentos. Porém os sentimentos que nos humanos somos capazes de sentir têm início e domínio no próprio cérebro, seja de forma consciente ou mesmo inconsciente. o que isso significa?

Significa que quando tomamos consciência da real nascente dos sentimentos, podemos sim, obter algum controle sobre eles, assim como o Amor, a Raiva, o Medo, a Dor e outros, ou seja, quando tomada à consciência de que um sentimento de amor, por exemplo, é psicológico, e pode ser criado ou destruído dentro da mente das pessoas, sendo este sentimento uma projeção do cérebro para criar algo que enlace ou mesmo que explique o querer bem, ou mesmo, o querer para si de algo ou alguém, podemos assim, manipula-lo e deixa-lo sob nosso total controle mental.

O PROBLEMA…

È que a consciência dos sentimentos e a dominação deles. Pois quando temos a consciência e “dominamos” algum sentimento como o Amor, não se têm a mesma emoção, o mesmo irracional dos sentimentos quando obtemos eles de forma inconsciente, o tornando assim algo racional de mais, sem aquela emoção do auge do amor, sem a emoção de atos impensados, e sem a sensação de se jogar de olhos fechados e ver o resultado final, se será positivo ou negativo.

Esse domínio pode ter bom resultados, quando o domínio se diz respeito ao Medo, a Raiva e a Dor, pois os atos que tomamos aos sentir esses sentimentos serão mais racionais e objetivos.

Com tudo pudemos observar que o cérebro é o culpado de tudo que sentimos e somos, e este se divide em dois extremos, o Consciente e o Inconsciente, o consciente nos manda informações pensadas e coerentes às situações, e nele temos total controle, domínio e consciência de nossos objetivos, já o inconsciente nos manda sentimentos involuntários, sem termos consciência, noção e sentido do que está acontecendo ou mesmo do que pensamos e queremos com aquilo. 

A FONTE DOS SENTIMENTOS

Image

Os sentimentos existem desde o início da existência humana e se definem como informações que seres biológicos são capazes de sentir nas situações que vivenciam, as pessoas costumam dizer que são emoções que vem teoricamente do coração, isso deve-se ao fato do coração simbolizar a vida e ser um dos órgãos do corpo de maior importância e assim, explicar a irracionalidade dos sentimentos. Porém os sentimentos que nos humanos somos capazes de sentir têm início e domínio no próprio cérebro, seja de forma consciente ou mesmo inconsciente. o que isso significa?

Significa que quando tomamos consciência da real nascente dos sentimentos, podemos sim, obter algum controle sobre eles, assim como o Amor, a Raiva, o Medo, a Dor e outros, ou seja, quando tomada à consciência de que um sentimento de amor, por exemplo, é psicológico, e pode ser criado ou destruído dentro da mente das pessoas, sendo este sentimento uma projeção do cérebro para criar algo que enlace ou mesmo que explique o querer bem, ou mesmo, o querer para si de algo ou alguém, podemos assim, manipula-lo e deixa-lo sob nosso total controle mental.

O PROBLEMA…

È que a consciência dos sentimentos e a dominação deles. Pois quando temos a consciência e “dominamos” algum sentimento como o Amor, não se têm a mesma emoção, o mesmo irracional dos sentimentos quando obtemos eles de forma inconsciente, o tornando assim algo racional de mais, sem aquela emoção do auge do amor, sem a emoção de atos impensados, e sem a sensação de se jogar de olhos fechados e ver o resultado final, se será positivo ou negativo.

Esse domínio pode ter bom resultados, quando o domínio se diz respeito ao Medo, a Raiva e a Dor, pois os atos que tomamos aos sentir esses sentimentos serão mais racionais e objetivos.

Com tudo pudemos observar que o cérebro é o culpado de tudo que sentimos e somos, e este se divide em dois extremos, o Consciente e o Inconsciente, o consciente nos manda informações pensadas e coerentes às situações, e nele temos total controle, domínio e consciência de nossos objetivos, já o inconsciente nos manda sentimentos involuntários, sem termos consciência, noção e sentido do que está acontecendo ou mesmo do que pensamos e queremos com aquilo. 

Grease – Nos Tempos da Brilhantina

Vamos falar hoje de um dos maiores sucessos da década de 70, “Grease” ou melhor “Nos tempos da brilhantina”, esse filme é espetacular e é um dos musicais mais conhecidos do cinema até hoje, ainda é lembrado por todos com um belo clássico cinematográfico. O filme “Grease” foi rodado no ano de 1978, contou com a participação de John Travolta e Olivia Newton-John e foi dirigido por Randal Kleiser .

Relatos dizem que o nome original “Grease” vem de uma subcultura de jovens trabalhadores norte-americanos conhecidos como “greasers”, ou melhor gangues de rua, existentes no nordeste e no sudeste dos Estados Unidos nos anos 50. O estilo de vida dos Jovens “Greasers” se tornou muito popular na época entre a juventude americana devido à seu aspecto de rebeldia nos costumes e no modo de agir desses grupos.

O Orçamento de Grease foi de US$ 6 milhões, sendo que arrecadou US$ 360 milhões nas bilheterias de todo o planeta. Teve uma continuação (“Grease 2”) em 1982 com Michelle Pfeiffer no papel principal, mas não obteve o mesmo sucesso.

Sinopse

O filme ocorre na Califórnia na década de 50, quando a australiana Sandy (Olivia Newton-John) se apaixona por Danny (John Travolta) enquanto estava de férias nos Estados Unidos, ambos acabam trocam juras de amor, mas quando o verão acaba Sandy tem que voltar para a Austrália e o casal se separa. Porém os pais dela decidem mudar de idéia e permitem que ela fique e ela acaba indo para o mesmo colégio de Danny. Embora os dois ainda estejam apaixonados ele a trata totalmente diferente e começa a esnobá-la. Líder da gangue dos T-Birds, ele tem uma reputação a manter e não pode ficar namorando apenas uma garota. Sandy fica desapontada, pois não consegue se adaptar à nova vida. Esta trama retrata a vida e o comportamento dos jovens daquela época. Grease – Nos Tempos da Brilhantina foi o grande sucesso de 1978.

Beijos no cinema

Beijos…nada melhor do que isso, em um dia frio como hoje.

Os mais antigos relatos sobre o beijo remontam a 2500 a.C., nas paredes dos templos de Khajuraho, na Índia. Diz-se que na Suméria, antiga Mesopotâmia, as pessoas costumavam enviar beijos aos deuses. Na Antiguidade também era comum, para gregos e romanos, o beijo entre guerreiros no retorno dos combates.

Era uma espécie de prova de reconhecimento. Aliás, os gregos adoravam beijar. Mas foram os romanos que difundiram a prática. Os imperadores permitiam que os nobres mais influentes beijassem seus lábios, e os menos importantes as mãos. Os súditos podiam beijar apenas os pés. Eles tinham três tipos de beijos: o basium, entre conhecidos; o osculum, entre amigos; e o suavium, ou beijo dos amantes

Falando de beijo, achei uma seleção de beijos no youtube sobre beijos ao longo da história do cinema, muitos deles, são beijos inesquecíveis e super comentados na área cinematográfica.

Vale apena dar uma olhadinha…assista e comente qual foi o melhor.

O segredo de Brokeback Mountain – O Beijo

Titulo Original: Brokeback Mountain

 

Aproveitando o clima de beijos homossexuais no cinema, esclarecemos que tais cenas só tiveram espaço nas telonas a partir da década de 1970, quando a luta pelos direitos LGBT já estavam em pauta em vários países. E um ótimo filme para assistir ainda com o tema de beijo homossexuais é o famoso “Brokeback Mountain“ aqui no Brasil o filme ganhou o nome de “O segredo de Brokeback Mountain“ e foi um tremendo sucesso por sua originalidade.

“Brokeback Mountain“ é u filme norte-americano canadense do ano de 2005, de gênero romance dramático e foi dirigido pelo cineastra taiwanês Ang Lee a partir de um roteiro escrito por Diana Ossana e Larry McMurtry no final da década de 1990. Este filme teve sua estreia em 9 de dezembro de 2005 nos Estados Unidos, e somente em 3 de fevereiro de 2006 foi estreado no Brasil. Brokeback Mountain venceu o Leão de Ouro no Festival de Veneza, além dos prêmios BAFTA, Globo de Ouro e Independent Spirit Awards de melhor filme e direção.

O filme conta a história de Jack Twist (Jake Gyllenhaal) e Ennis del Mar (Heath Ledger), dois jovens vaqueiros que se conhecem enquanto trabalham juntos em pastoreamento de ovelhas na montanha de Brokeback, no Wyoming, juntos acabam se apaixonam perdidamente um pelo o outro, isso ocorre no ano de 1963.  Como o amor homossexual não é algo que ambos conseguem aceitar, os dois se despedem e resolvem viver suas vidas como se nada tivesse acontecido. Ambos acabam se casam e tem filhos, anos mais tarde, Jack escreve para Ennis dizendo que iria visitá-lo. No reencontro não conseguem controlar a saudade e a enorme paixão entre eles, e se beijam desesperadamente. Enquanto isso, Alma, esposa de Ennis, vê o beijo, e o amor deles deixa de ser só um segredo entre os dois. O filme retrata o complexo relacionamento homossesual de Jack e Ennis, demostra a confusão emocional, sexual e o romântico que eles acabam passando nessa relação, em um curso de dezoito anos.
Elenco:

-Heath                                                                -Jake Gyllenhaal

-Randy Quaid                                                   -Valerie Planche

-David Trimble                                                 -Victor Reyes

-Lachlan Mackintosh                                     -Michelle Williams

-Larry Reese                                                      -Marty Antonini

-Tom Carey                                                         -Dan McDougall

-Don Bland                                                           -Steven Cree Molison

-Anne Hathaway.

 

 

 

Veja o Primeiro Beijo Lesbico do Cinema

 

Mädchen in Uniform (1931)

O primeiro filme a ter um beijo lésbico foi exibido em 1931 no filme “Mädchen in Uniform” (Meninas de Uniforme) de 1931, esse filme é do gênero Drama, de produção Alemã e com a direção de Leontine Sagan, devido ao beijo lésbico, até então inédito nos cinemas, o filme chegou a sofrer inúmeras censuras, mas no final acabou ganhando seu espaço do mundo cinematográfico.

O filme “Mädchen in Uniform” conta a história de uma jovem de 14 anos chamada Manuela que acaba sendo internada em um internato de meninas, por sua tia que não se importa muito com ela, isso ocorre logo após o falecimento de sua mãe, seu pai se coloca incapaz de cuidar dela e apóia a internação da menina. Muito abalada Manuela como uma típica adolescente na fase vulnerável de sua vida. Em um ambiente autoritarista, Manuela entra em contato com a bela professora Fraulein Von Bernbur que todas as meninas têm uma forte admiração e a mesma retribui as alunas com uma relação maternal, com o decorrer dos acontecimentos Manuela e a professora acabam desenvolvendo outros sentimentos que fogem do formalismo Aluna-Professora e pequenos gestos e olhares incitam o crescimento deste sentimento que foge do controle… e o Beijo tão criticado acontece.

 

Mädchen in Uniform (1958)

 

(O filme teve uma refilmagem em 1958).

Um Filme para o Mês das Noivas “A Noiva Estava de Preto”

“A Noiva Estava de Preto”

Este é um ótimo filme, que foi baseado no livro homônimo de Cornell Woorich, “A Noiva Estava De Preto”, com produção franco-italiana do ano de 1967, é do gênero drama e foi dirigido pelo cineastra francês, François Truffaut que também participou do roteiro junto com Jean-Louis Richard. O longa roda em torno de mistério e crimes.

 A produção,  o roteiro e os protagonistas, todos estão maravilhosos e vale apena lembrar e assistir esse clássico mesmo nos dias de hoje, a atriz principal é a linda Jeanne Moreau, que ficou esplêndida no papel de viúva vingativa. É um filme digno de indicação.

Sinopse

Logo após a cerimônia de casamento que uniu David e Julie Kohler, ao saírem da igreja, ainda nas escadarias, o noivo é ferido por um tiro disparado do alto de uma janela de um prédio e termina por falecer.

Sua esposa Julie inconformada tenta suicídio, sendo impedida por sua mãe. Algum tempo depois ela acaba descobrindo o nome dos cinco suspeitos da morte de seu marido que se encontravam no local de onde partiu a bala que assassinou seu marido, ela decide caçar e matar um por um para vingar a morte do seu amado.

 

Prêmios e Indicações

  • “ A Noiva Estava De Preto” foi indicado na categoria de melhor filme estrangeiro para o Globo de Ouro e na categoria de melhor filme para o prêmio Edgar no ano de 1969 (EUA).

 

Elenco

  • Jeanne Moreau … Julie Kohler
  • Michel Bouquet … Coral
  • Jean-Claude Brialy … Corey
  • Charles Denner … Fergus
  • Claude Rich … Bliss
  • Michael Lonsdale … Rene Morane
  • Daniel Boulanger … Delvaux
  • Alexandra Stewart … Mlle Becker
  • Sylvine Delannoy … Mme Morane
  • Luce Fabiole … Julie’s mother
  • Michèle Montfort … Fergus’s model
  • Jacqueline Rouillard
  • Paul Pavel … Mechanic
  • Gilles Quéant … Examining judge
  • Serge Rousseau … David
  • Van Doude … Inspector
  • Christophe Bruno … Cookie
  • Frédérique Fontanarosa … Musician
  • Renaud Fontanarosa … Musician
  • Jacqueline Gaillard … Chambermaid
  • Maurice Garrel … Le plaignant
  • Daniel Pommereulle … Fergus’s friend
  • Elisabeth Rey … Julie child
  • Jean-Pierre Rey … David child
  • Dominique Robier … Sabine, Julie’s niece
  • Jacques Robiolles … Charlie
  • Michèle Viborel … Gilberte, Bliss’s fiancee

O Filme Mais Picante de Todos os Tempos

Last Tango in Paris (1972) – Último Tango em Paris

 O ”Último Tango em Paris“ estreou nos Estados Unidos e teve uma enorme repercussão na década de 70. Considerado uma obra-prima cinematográfica, o filme contém inúmeras cenas fortíssimas que provocaram vários níveis de censura  no mundo inteiro. Este nada mais é, do que um clássico Europeu, um dos filmes mais picantes de todos os tempos, qualificado como escandaloso e proibido em muitos países por seu alto conteúdo erótico, e suas múltiplas cenas de sexo explicito, exibidas no ano de 1972 (ano de sua estreia), se tornou um sucesso de bilheteria mundial e causou grande polêmica internacional nessa época. A exaltação da imprensa com relação ao filme só gerou um enorme interesse do público, além de muitas criticas condenando a moralidade do filme.

O filme se trata de um drama erótico franco-italiano de 1972, que foi dirigido por Bernardo Bertolucci e suas estrelas principais foram o famoso Marlon Brando e a então desconhecida Maria Schneider. Essa produção resultou a Brando e Bertolucci indicações ao Oscar como melhor ator e melhor diretor.

O filme conta a história de um americano de meia-idade chamado Paul (Marlon Brando) que está em luto por sua mulher que acabou de cometer suicídio, e ao procurar um apartamento anunciado para aluguel, se encontra com uma jovem parisiense chamada Jeannie (Maria Schneider), que também está interessada em alugar o mesmo apartamento. Sem se conhecerem, começam a ter relações sexuais no local. Paul faz questão que não mantenham nenhum outro tipo de relacionamento, assim eles não poderiam trocar informações um do outro, nem mesmo o nome deles deveria ser dito. Pouco tempo depois, Paul aluga o apartamento e o casal permanece se encontrando na casa e mantendo relações sexuais sem maiores informações,o clima entre os dois vai modificando e o interesse passa a ser maior do que somente sexo, em um dia comum como os outros Jeannie vai ao apartamento para mais um encontro com Paul, mas percebe que ele desapareceu, levando suas malas. Mas tarde eles se encontram na rua e ele a leva para uma casa de tangos, lá ele começa a contar sua vida e diz querer iniciar uma relação mais séria com ela, ao romper com o acordo de não contar informações próprias de um para o outro, jeannie se desilude com a situação e rompe o relacionamento com ele, Paul se revolta e sem querer perdê-la, decide segui-la, quando chegam ao apartamento onde Jeannie mora com a mãe, a relação acaba em tragédia. Leia o resto deste post

Os Melhores Filmes da Década de 60

Mudando de assunto, da sensualidade para os clássicos de sucesso, veja a seguir uma seleção de melhores filmes lançados na década de 60, muitos deles tem repercussão até hoje, por sua originalidade e popularidade na época.

1º – Planeta dos Macacos (1968)

Nome original – “Planet of the Apes”, esse é um filme estadunidense de ficção científica que foi baseado no romance de Pierre Boulle, “La planète des singes”. Estrelado pelo ator Charlton Heston, o enredo se baseia na experiência de um astronauta sobrevivente de uma missão espacial, que aterrissa em um planeta igual à Terra e descobre que uma raça de macacos falantes domina e escraviza seres humanos, que são mudos. Esse filme ficou muito conhecido, e suas cenas são lembradas até hoje por muitos que vivenciaram essa época.
 

 

2º – Dr. Jivago (1965)

 Doutor Jivago (em russo Доктор Живаго), filme do ano de 1965,  é um romance de Boris Pasternak, que foi adaptado para o cinema pelo exelente Robert Bolt e foi dirigido por David Lean. O romance tem o nome de seu protagonista, Yuri Zhivago, que era médico e poeta. Esse filme conta a história de um homem dividido entre duas mulheres sob fundo da Revolução Russa de 1917. Um filme esplendido, que foi indicado em varias categorias e cegou a ganhar cinco prêmios, nas categorias de Melhor Roteiro Adaptado, Melhor Direção de Arte – A Cores, Melhor Fotografia – A Cores, Melhor Figurino – A Cores e Melhor Trilha Sonora.
 

 

3º – A Noviça Rebelde (1965)

Nome original – “The Sound of Music”, é um filme norte-americano de 1965, do gênero drama musical, dirigido por Robert Wise e com Julie Andrews no papel principal. O filme originou-se de um musical da Broadway, cuja história é baseada na vida da família de cantores Von Trapp da Áustria. As canções são da autoria de Richard Rodgers e Oscar Hammerstein II, com roteiro de Ernest Lehman.
 

 

4º – A primeira noite de um Homem (1963)

Nome original – “The Graduate”, é um filme estadunidense de 1967,  do gênero de comédia romântica que foi dirigida por Mike Nichols e estrelada por Dustin Hoffman, Anne Bancroft e Katharine Ross. O roteiro foi escrito por Calder Willingham e Buck Henry,  e foi baseado no livro homônimo de Charles Webb.
 

 

5º – Romeu e Julieta (1968)

Nome original –“Romeo and Juliet”, é um filme ítalo-britânico de 1968, do gênero drama, que foi dirigido por Franco Zeffirelli, seu roteiro foi baseado na obra-prima teatral Romeu e Julieta, de William Shakespeare. Esse filme foi filmado inteiramente na Itália, em diversas locações. È uma história clássica de um amor proibido entre um homem e uma mulher.
 

 

6º – Bonequinha de Luxo (1961)

Nome original – “Breakfast at Tiffany’s”, é um filme estadunidense de 1961, do gênero drama, dirigido por Blake Edwards e com roteiro baseado em livro de Truman Capote. O clássico se passa na cidade de Nova Iorque e tem cenas filmadas na famosa loja de jóias Tiffany. Apresenta Audrey Hepburn cantando Moon River, canção que faz parte da trilha sonora composta por Henry Mancini.
 

 

7º – O Bebe de Rosemary (1968)

Nome original – “Rosemary’s Baby”, é um filme estadunidense de 1968, do gênero terror, dirigido por Roman Polanski. O roteiro foi escrito por Roman Polanski e é baseado no romance homônimo de Ira Levin, publicado em 1967. É considerado um clássico dos filmes de terror da década de 1960.
 

 

8º – A Noite dos Mortos Vivos (1968)

Nome original – “Night Of The Living Dead”, foi dirigido por George Romero, e é um filme de terror independente de 1968 em preto-e-branco. Ben (Duane Jones) e Barbra (Judith O’Dea) são os protagonistas de uma história sobre a reanimação misteriosa de indivíduos recentemente mortos, e seus esforços, junto de outras cinco pessoas, para sobreviverem a noite enquanto presos em uma casa de fazenda na região rural da Pensilvânia. O filme teve um grande impacto sobre a cultura estado-unidense da era da Guerra do Vietnã, por ser carregado de críticas à sociedade do final dos anos 1960; um historiador o descreveu como “subversivo em diversos níveis”.
 

 

9º – A Pantera Cor de Rosa (1963)

Nome original – “The Pink Panther”, é uma co-produção estadunidense e britânica de 1963, do gênero comédia, dirigida por Blake Edwards. A história relata as aventuras do atrapalhado inspetor Jacques Clouseau (Peter Sellers) e suas tentativas de descobrir quem é o famoso ladrão que se intitula O Fantasma, e que poderia estar planejando roubar o famoso diamante pantera cor-de-rosa, de propriedade da princesa Dala. Closeau está há muito tempo na pista certa, mas não consegue descobrir a verdadeira identidade do gatuno, sendo sempre atrapalhado por sua esposa Simone, que secretamente é amante e cúmplice do Fantasma
 

 

10º – 2001, uma Odisséia no Espaço (1968)

 Nome original – “2001: A Space Odyssey”, é um filme americano de ficção científica, realizado em 1968 pelo cineasta Stanley Kubrick, cujo roteiro escreveu em parceria com Arthur C. Clarke. Este filme, com uma duração total de 139 minutos e apenas 40 de diálogo, analisa a evolução do ser humano, desde os primeiros hominídeos capazes de usar instrumentos, até à era espacial e para além disso. Foi baseado nas obras de Arthur C. Clarke The Sentinel e 2001: A Space Odyssey, esta última escrita simultaneamente com as filmagens.
 

 

11º – Psicose (1960)

Nome original – “Psycho”, é um filme estadunidense de 1960, dos gêneros suspense e terror, dirigido por Alfred Hitchcock.Hitchcock comprou anonimamente os direitos do livro de Robert Bloch, que deu origem ao roteiro do filme; ele pagou onze mil dólares e depois comprou todas as cópias disponíveis no mercado para que ninguém o lesse e, consequentemente, seu final não fosse revelado. O filme foi escolhido como o 11º melhor filme de todos os tempos e o melhor do gênero horror pela revista Entertainment Weekly. O filme foi eleito o 18º melhor de todos os tempos pelo AFI (Instituto Americano de Cinema).

 Que bom relembrar esses clássicos. Até quem não viveu essa época já ouviu falar de cada um desse filmes, devido ao enorme sucesso que cada um carrega, o bom é que esses e muitos outros, alimentaram e continuam alimentando nossa história cinematográfica, Sem contar que nos traz “novos antigos” assuntos para discutirmos ainda hoje.