Arquivos do Blog

Os Atores Mais Gatos do Cinema Clássico – Parte II

Gostou da nossa lista de atores gatos do cinema clássico? Pois então prepare-se, pois afinal tantos gatos não caberiam em um só post…

Marlon Brando

Famoso por sua beleza e inegável talento, Marlon Brando nasceu em 3 de abril de 1924 na cidade de Omaha, nos EUA, e faleceu em 1 de julho de 2004. Começou sua carreira no teatro atuando na peça “Tennessee Williams, Um Bonde Chamado Desejo”, e seu primeiro trabalho no cinema foi o longa “Espíritos       Indômitos”, em 1950. Fez vários filmes de sucesso, ganhou o primeiro Oscar em  1954  com o filme “Sindicato dos ladrões”. Brando chegou ao auge do sucesso nos anos 70, protagonizando gigantes como “O Poderoso Chefão”, “O Padrinho” e “Último Tango em Paris”.  Se aventurou como diretor em 1961, dirigindo o filme “ A Face Oculta”.

Alguns filmes com atuação de Marlon Brando:

Leia o resto deste post

Os Atores Mais Gatos do Cinema Clássico

Hoje em dia galãs como Brad Pitt, Tom Cruise, Antonio Banderas e Rodrigo Santoro são sensação nas telonas, mas antes deles muitos outros atores fizeram sucesso com seu charme e atitude. Preparamos uma lista dos atores mais bonitos e charmosos do cinema clássico. Confira:

Alain Delon

O belo garoto de olhos azuis nasceu em 8 de novembro de 1935 na cidade de Sceaux, na França. Teve uma infância problemática e aos 17 anos lutou na Indochina pela marinha francesa. Em 1956 se mudou para Paris e trabalhou como vendedor, garçom e porteiro para sobreviver. Em 1957 foi ao Festival de Cannes com um amigo, e sua beleza chamou a atenção do produtor David Selznick, que lhe ofereceu um contrato em Hollywood, com a condição que Delon aprendesse a falar inglês, porém, ao retornar à Paris, Delon conheceu o cineasta  Yves Allégret, que o convenceu a começar a carreira na França.

Seu primeiro filme de sucesso foi o clássico do suspense “O sol por testemunha”, dirigido por René Clément , baseado em um livro de Patricia Highsmith. O longa foi também fonte de boatos sobre sua sexualidade, devido à grande proximidade de Delon com o diretor Clément.

Sua beleza o tornou um símbolo sexual nos anos de 60 e 70, mas o belo Delon sempre se esforçou para ser reconhecido como um bom ator, e não apenas como um rostinho bonito. Sua atuação mais recente foi em 2008, quando encarnou o romano Júlio César no filme “Astérix nos jogos Olímpicos”.

Alguns filmes de Alain Delon:
Leia o resto deste post