Arquivos do Blog

Os Atores Mais Gatos do Cinema Clássico – Parte II

Gostou da nossa lista de atores gatos do cinema clássico? Pois então prepare-se, pois afinal tantos gatos não caberiam em um só post…

Marlon Brando

Famoso por sua beleza e inegável talento, Marlon Brando nasceu em 3 de abril de 1924 na cidade de Omaha, nos EUA, e faleceu em 1 de julho de 2004. Começou sua carreira no teatro atuando na peça “Tennessee Williams, Um Bonde Chamado Desejo”, e seu primeiro trabalho no cinema foi o longa “Espíritos       Indômitos”, em 1950. Fez vários filmes de sucesso, ganhou o primeiro Oscar em  1954  com o filme “Sindicato dos ladrões”. Brando chegou ao auge do sucesso nos anos 70, protagonizando gigantes como “O Poderoso Chefão”, “O Padrinho” e “Último Tango em Paris”.  Se aventurou como diretor em 1961, dirigindo o filme “ A Face Oculta”.

Alguns filmes com atuação de Marlon Brando:

Leia o resto deste post

O segredo de Brokeback Mountain – O Beijo

Titulo Original: Brokeback Mountain

 

Aproveitando o clima de beijos homossexuais no cinema, esclarecemos que tais cenas só tiveram espaço nas telonas a partir da década de 1970, quando a luta pelos direitos LGBT já estavam em pauta em vários países. E um ótimo filme para assistir ainda com o tema de beijo homossexuais é o famoso “Brokeback Mountain“ aqui no Brasil o filme ganhou o nome de “O segredo de Brokeback Mountain“ e foi um tremendo sucesso por sua originalidade.

“Brokeback Mountain“ é u filme norte-americano canadense do ano de 2005, de gênero romance dramático e foi dirigido pelo cineastra taiwanês Ang Lee a partir de um roteiro escrito por Diana Ossana e Larry McMurtry no final da década de 1990. Este filme teve sua estreia em 9 de dezembro de 2005 nos Estados Unidos, e somente em 3 de fevereiro de 2006 foi estreado no Brasil. Brokeback Mountain venceu o Leão de Ouro no Festival de Veneza, além dos prêmios BAFTA, Globo de Ouro e Independent Spirit Awards de melhor filme e direção.

O filme conta a história de Jack Twist (Jake Gyllenhaal) e Ennis del Mar (Heath Ledger), dois jovens vaqueiros que se conhecem enquanto trabalham juntos em pastoreamento de ovelhas na montanha de Brokeback, no Wyoming, juntos acabam se apaixonam perdidamente um pelo o outro, isso ocorre no ano de 1963.  Como o amor homossexual não é algo que ambos conseguem aceitar, os dois se despedem e resolvem viver suas vidas como se nada tivesse acontecido. Ambos acabam se casam e tem filhos, anos mais tarde, Jack escreve para Ennis dizendo que iria visitá-lo. No reencontro não conseguem controlar a saudade e a enorme paixão entre eles, e se beijam desesperadamente. Enquanto isso, Alma, esposa de Ennis, vê o beijo, e o amor deles deixa de ser só um segredo entre os dois. O filme retrata o complexo relacionamento homossesual de Jack e Ennis, demostra a confusão emocional, sexual e o romântico que eles acabam passando nessa relação, em um curso de dezoito anos.
Elenco:

-Heath                                                                -Jake Gyllenhaal

-Randy Quaid                                                   -Valerie Planche

-David Trimble                                                 -Victor Reyes

-Lachlan Mackintosh                                     -Michelle Williams

-Larry Reese                                                      -Marty Antonini

-Tom Carey                                                         -Dan McDougall

-Don Bland                                                           -Steven Cree Molison

-Anne Hathaway.

 

 

 

Veja o Primeiro Beijo Lesbico do Cinema

 

Mädchen in Uniform (1931)

O primeiro filme a ter um beijo lésbico foi exibido em 1931 no filme “Mädchen in Uniform” (Meninas de Uniforme) de 1931, esse filme é do gênero Drama, de produção Alemã e com a direção de Leontine Sagan, devido ao beijo lésbico, até então inédito nos cinemas, o filme chegou a sofrer inúmeras censuras, mas no final acabou ganhando seu espaço do mundo cinematográfico.

O filme “Mädchen in Uniform” conta a história de uma jovem de 14 anos chamada Manuela que acaba sendo internada em um internato de meninas, por sua tia que não se importa muito com ela, isso ocorre logo após o falecimento de sua mãe, seu pai se coloca incapaz de cuidar dela e apóia a internação da menina. Muito abalada Manuela como uma típica adolescente na fase vulnerável de sua vida. Em um ambiente autoritarista, Manuela entra em contato com a bela professora Fraulein Von Bernbur que todas as meninas têm uma forte admiração e a mesma retribui as alunas com uma relação maternal, com o decorrer dos acontecimentos Manuela e a professora acabam desenvolvendo outros sentimentos que fogem do formalismo Aluna-Professora e pequenos gestos e olhares incitam o crescimento deste sentimento que foge do controle… e o Beijo tão criticado acontece.

 

Mädchen in Uniform (1958)

 

(O filme teve uma refilmagem em 1958).

O Filme Mais Picante de Todos os Tempos

Last Tango in Paris (1972) – Último Tango em Paris

 O ”Último Tango em Paris“ estreou nos Estados Unidos e teve uma enorme repercussão na década de 70. Considerado uma obra-prima cinematográfica, o filme contém inúmeras cenas fortíssimas que provocaram vários níveis de censura  no mundo inteiro. Este nada mais é, do que um clássico Europeu, um dos filmes mais picantes de todos os tempos, qualificado como escandaloso e proibido em muitos países por seu alto conteúdo erótico, e suas múltiplas cenas de sexo explicito, exibidas no ano de 1972 (ano de sua estreia), se tornou um sucesso de bilheteria mundial e causou grande polêmica internacional nessa época. A exaltação da imprensa com relação ao filme só gerou um enorme interesse do público, além de muitas criticas condenando a moralidade do filme.

O filme se trata de um drama erótico franco-italiano de 1972, que foi dirigido por Bernardo Bertolucci e suas estrelas principais foram o famoso Marlon Brando e a então desconhecida Maria Schneider. Essa produção resultou a Brando e Bertolucci indicações ao Oscar como melhor ator e melhor diretor.

O filme conta a história de um americano de meia-idade chamado Paul (Marlon Brando) que está em luto por sua mulher que acabou de cometer suicídio, e ao procurar um apartamento anunciado para aluguel, se encontra com uma jovem parisiense chamada Jeannie (Maria Schneider), que também está interessada em alugar o mesmo apartamento. Sem se conhecerem, começam a ter relações sexuais no local. Paul faz questão que não mantenham nenhum outro tipo de relacionamento, assim eles não poderiam trocar informações um do outro, nem mesmo o nome deles deveria ser dito. Pouco tempo depois, Paul aluga o apartamento e o casal permanece se encontrando na casa e mantendo relações sexuais sem maiores informações,o clima entre os dois vai modificando e o interesse passa a ser maior do que somente sexo, em um dia comum como os outros Jeannie vai ao apartamento para mais um encontro com Paul, mas percebe que ele desapareceu, levando suas malas. Mas tarde eles se encontram na rua e ele a leva para uma casa de tangos, lá ele começa a contar sua vida e diz querer iniciar uma relação mais séria com ela, ao romper com o acordo de não contar informações próprias de um para o outro, jeannie se desilude com a situação e rompe o relacionamento com ele, Paul se revolta e sem querer perdê-la, decide segui-la, quando chegam ao apartamento onde Jeannie mora com a mãe, a relação acaba em tragédia. Leia o resto deste post

As Belas Atrizes do Cinema Clássico

Tem assunto melhor do que Beleza? e beleza no cinema? Nem todas as belas atrizes poderiam ser citadas em um só post, lindas, sexys, simpáticas e muitas, inesquecíveis, marcaram época nas telonas e se tornaram ícones, todas ainda hoje são lembradas e talvez nunca se apaguem da história. Atrizes de diversos lugares do mundo nos deram o prazer de velas em inúmeros filmes que constituíram nossa história cinematográfica, poderíamos ficar dias, posts e posts, falando da beleza de cada uma, mas hoje escolhemos 6 lindas atrizes que fizeram fama e se exibiram nas telas dos cinema para bilhões de pessoas de todas as partes do mundo.

Primeiramente a linda Audrey Hepburn (Ixelles, 4 de maio de 1929 — Tolochenaz, 20 de janeiro de 1993)

Audrey Kathleen Ruston, nascida em Bruxelas (Bélgica) em 4 de maio de 1929, filha única de Joseph Anthony Ruston e de Ella Van Heemstra (que era uma baronesa).  

Audrey Herburn fez diversos filmes que a levaram à fama, Hepburn foi o nome pelo qual ficou conhecida devido suas ótimas atuações no cinema, esse sobrenome foi anexado ao seu de batismo, pelo pai. Sua simpatia e beleza a tornaram símbolo de beleza e ainda hoje é lembrada como uma das mais elegantes e belas atrizes da história cinematográfica.

Ava Gardner também nos encheu os olhos (Grabtown, 24 de dezembro de 1922Londres, 25 de janeiro de 1990)

A linda atriz Ava Lavinia Gardner, ou simplesmente Ava Gardner como sempre foi chamada, é uma das 50 maiores lendas do cinema, segundo a lista do Instituto de cinema norte-americano, bela, simpática e uma perfeita atriz, encarnava seus papeis com muita dedicação, o que resultou em sua fama, foi à atriz norte-americana considerada uma das mais belas atrizes da história do cinema, representando o cinema clássico americano dos anos 1940 e 1950.

A bela Brigitte Bardot

Brigitte Anne-Marie Bardot, conhecida mundialmente como BB ou Brigitte Bardot, nasceu em Paris dia 28 de Setembro de 1934. Sua primeira aparição nas telas foi em 1952, como Javotte Lemoine, no filme “Le Trou normand”, uma atriz e cantora francesa maravilhosa, que nos encantava com seu charme e seus dons da atuação e de voz como ninguém, é considerada o grande símbolo sexual dos anos 50 e 60. Após se retirar do mundo do entretenimento e se afastar da vida pública, tornou-se ativista dos direitos animais.

Elizabeth Taylor linda como sempre (Londres, 27 de fevereiro de 1932Los Angeles, 23 de março de 2011)

Conhecida mundialmente por Liz ou Liz Taylor,  a Sra. Elizabeth Rosemond Taylor (nome original) nasceu em Londres no dia 27 de fevereiro de 1932, Filha dos americanos, Francis Leen Taylor e Sara Viola Rosemond Warmbrodt, que mudaram-se para os Estados Unidos em 1939. Liz começou a carreira cinematográfica ainda criança, e foi descoberta aos dez anos para atuar em filmes. Filmou There’s One Born Every Minute, contratada pela Universal Pictures, mas não teve o contrato renovado. Revelou seu talento participando de filmes infanto-juvenis, como na estreia em 1943 num pequeno papel da série Lassie. Desde então se apaixonou pela atuação, chegando a ganhar algumas premiações.

A beleza de Sophia Loren também já nos encontou muito

Descoberta pelo produtor de cinema Carlo Ponti no set do filme “Africa sotto i mari“, que se tornou algum tempo depois seu marido e pai de seus dois filhos, a atriz Sophia Loren se virou ícone de beleza das mulheres italianas em Hollywood. Sophia Villani Scicolone, nasceu em Roma, Itália, em 1934 e seu talento e beleza conquistou o cinema mundial.

Sophia trabalhou com grandes diretores como Vittorio De Sica, Federico Fellini, Ettore Scola, Robert Altman, Lina Wertmüller, entre outros, e ganhou também diversos prêmios como: Oscar de Melhor Atriz, Melhor Atriz no Festival de Cannes.

E a inesquecível Marilyn Monroe (Los Angeles, 1 de junho de 1926 — Los Angeles, 5 de agosto de 1962)

Marilyn Monroe, esse é um dos nomes mais conhecidos do cinema mundial.

Norma Jeane Mortensen esse é o verdadeiro nome da maravilhosa estrela Marilyn Monroe, nascida em Los Angeles no dia 1 de junho de 1926. É uma das mais famosas atrizes norte-americana do cinema de todos os tempos, símbolo de sensualidade, beleza e atitude. Se tornou ícone de popularidade no século XX.

 Felizmente, essas não são as únicas lindas atrizes do cinema, podendo ser incluídas muitas outras, como: Gene Tierney, Greer Garson,  Greta Garbo,  Ingrid Bergman,  Natalie Wood e  Rita Hayworth. Mas para um post seria demais para os olhos do espectador, essas foram algumas das que merecem destaque por sua beleza e fama exibida nas telas do cinema.

Napoleão faz o filme do dia – Napoléon (1927)

“5 DE MAIO DE 1821 – MORTE DE NAPOLEÃO BONAPARTE”

Hoje completam 190 anos que Napoleão Bonaparte morreu, alguns dizem que foi de uma úlcera provocada por uma má dieta e pela ansiedade, controvérsias afirmam que na verdade ele teria sido assassinado por envenenamento.  E para lembrá-lo, nada melhor do que um clássico filme em sua homenagem, chamado “Napoléon” lançado em 1927, esse filme conta a história da ascensão de Napoleão I, se trata de um clássico filme mudo francês de gênero épico, que foi dirigido pelo grande Abel Gance. A ideia inicial da produção do filme era que esse fosse o primeiro de seis, que fariam uma sequência sobre Napoleão Bonaparte, porém os custos envolvidos acabaram se tornando inviáveis e as continuações não foram realizadas.

Em abril de 1927 houve o primeiro lançamento do filme “Napoléon” em uma premiére de gala na Ópera de Paris, esse filme tinha tido sua exibição em oito cidades européias, até a Metro-Goldwyn-Mayer comprar os direitos do filme, porém o filme foi cortado para exibição nos EUA, logo após uma exibição em Londres.

Esse filme se caracterizou e ganhou fama por sua ousadia e revolução, adjetivos que se encaixaram perfeitamente na discrição do filme, uma inovação estética para a época do cinema mudo que exigiu o desenvolvimento de um procedimento tecnológico conhecido como tríptico. A descrição é de Evolução das imagens em movimento, pesquisa desenvolvida na EBA-UFMG, coord. de Heitor Capuzzo. No inicio do filme já aparecem sinais dessa inovação que causou surpresa para os espectadores com a nova forma de projeção, a tela foi dividida em nove pequenas seções, nove ações paralelas rodando simultaneamente pela primeira vez aos olhos de todos os espectadores, fato super inovador naquele momento. Tais modernas técnicas na narrativa e na filmagem tornaram esse filme um dos mais memoráveis clássicos mudos da história.

O filme conta a historia de Napoleão desde sua infância, sua época de escola e sua fase adulta até a invasão da Itália pelo exercito francês em 1797, contando a história do Bonaparte jovem iniciando sua participação na Revolução Francesa, virando um perfeito estrategista em suas batalhas.

O sucesso deste filme refere-se aos últimos momentos desse clássico que virou história no cinema, o tecnológico tríptico foi à alavanca para o sucesso cinematográfico da época, nos momento finais do filme a tela era dividida em três exibições simultâneas, imagens diversas surgiam nessas repartições, variações de imagens e cores se alteravam e eram exibidas ampliando o olhar do público, as imagens foram filmadas com três câmeras distintas, isso multiplicava o olhar e a surpresa dos espectadores. Tudo isto para contar a história deste homem fascinante.

                                                                                                       

Elenco

    

Assista aqui um trecho do filme:

“Carlitos repórter“ é o Primeiro filme estreado por Chaplin.

 

  Aproveitando a deixa dos clássicos de Charles Chaplin, nada mais justo do que falar da estreia deste astro no cinema mudo. Poucos sabem que o  primeiro filme de Charles Chaplin foi “Making a Living” onde ele “interpretou” um repórter, isso, isso mesmo, um mero repórter, ou melhor um grande repórter na comédia “”Carlitos repórter” (nome dado ao filme aqui no Brasil) que se fosse protagonizado por qualquer outro ator não passaria de um simples personagem de repórter.

  Já no inicio de sua carreira, no primeiro filme de Chaplin é possível perceber o grande potencial deste ator, com seu estilo inventivo, improvisando piadas e sendo protagonista das situações mais cômicas que marcariam seu estilo e seu profissionalismo inconfundível durantes épocas.

“Making a Living” ou como foi nominado no Brasil “Carlitos repórter”, teve sua estréia em 02 de fevereiro de 1914, chegando já a quase cem anos do inicio da carreira do grande Chaplin nas telonas do cinema mudo. O filme curta-metragem de origem estadunidense é do gênero incomparável de comédia, marcado pela originalidade de Charles Chaplin, esse filme foi produzido para os Estúdios Keystone, dirigido por Henry Lehrman, com a produção de Mack Sennett, ambos considerados mestres da comédia pastelão.

  A comédia “Making a Living” se trata de um falso aristocrata inglês Slicker (Charles Chaplin) que faz um papel de um vigarista disposto a aplicar os golpes mais sujos para conseguir um emprego de repórter e quando vai trabalhar como repórter se envolve com o roubo de uma câmera fotográfica com negativos de uma reportagem sensacionalista. O filme foi exibido no Brasil com o nome de “Carlitos Repórter”, marcando assim a estréia de Chaplin nas telas do cinema mundial.

O famoso personagem Vagabundo só aparece no próximo filme “Kid auto reace at Venice” (Corrida de automóveis para meninos), que estreou em 07 de fevereiro do mesmo ano.

**********************************************************************************************************************

Elenco do Filme:

Charles Chaplin: Slicker, o repórter (Nota: no IMDB o nome do personagem de Chaplin aparece como Swindler).

Virginia Kirtley: jovem

Alice Davenport: mãe

Henry Lehrman: repórter

Minta Durfee: mulher

Chester Conlin: policial/vagabundo

 **********************************************************************************************************************

 Para os fãs deste grande astro do cinema mundial e colecionadores, aqui vai alguns links para a compra dos melhores filmes em DVDs de Charles Chaplin, Confira:

  Encontre na UOL Buscapé, MercadoLivre, QueBarato, Izideal, Travessa, Shopmania

**********************************************************************************************************************

Halloween 1978 X Pânico 4.

O tempo passa e os novos filmes ainda se comparam aos clássicos do cinema. “Pânico” um dos filmes de psicopatas assassinos de maior sucesso nos últimos tempos, antes de ganhar suas versões comédia em “Todo mundo em pânico” já causou muito medo em marmanjos, um psicopata mascarado que persegue e mata um grupo de jovens com uma faca. Sua última versão “Pânico4”estreou no cinema brasileiro na ultima sexta-feira dia 15-04-11, neste filme Sidney Prescott (Neve Campbell) que sobreviveu a uma série de terríveis assassinatos no filme anterior,  retorna a sua cidade natal, Woodsboro, para o lançamento de seu livro. Depois de superar o ocorrido, já na cidade ela reencontra o xerife Dewey (David Arquette) e a jornalista Gale (Courteney Cox), agora casados, e também a prima Jill (Emma Roberts). Enquanto a cidade comemora o aniversário dos crimes, novos assassinatos começam a acontecer na cidade e o retorno do Ghostface, o assassino da máscara logo passa a assassinar novas vitimas, o assunto que era comemorado agora parece se tornar uma nova realidade para a cidade que novamente entra em pânico. 

Este contéudo logo pode ser comparado ao clássico filme de terror de 1978 “Halloween – A noite do terror”, esseclássico foi um dos mais populares filmes com “serial killer” da época, onde o assassino era um psicopata chamado Michael Myers que matava suas vitimas com uma enorme faca e uma mascara. Este filme foi dirigido por John Carpenter e tinha como atriz principal Jamie Lee Curtis que atuou perfeitamente em diversos filmes.

Ambos os filmes possuem um psicopata assassino mascarado que mata grupos de pessoas com um facão sem motivos aparentes, a diferença é que no filme “Pânico” o assassino é um suspense, pois ninguém sabe quem ele pode ser, já em “Halloween” todos sabem que o assassino mascarado se trata de Michael Myers, um psicopata conhecido que fugiu do manicômio. Ambos assassinos nunca morrem durante a trama, somente perseguem suas vitimas até conseguir assassina-las com suas facas, de maneira trágica e sangrenta, este é seu único instrumento utilizado nas mortes.

Embora a época em que cada filme é exibido seja bem diferente, em um contexto geral a comparação destes filmes chegam a rodar em torno dos mesmos fatos. (Assassino mascarado mata com uma faca sua vitimas).

Trailer Halloween 1978

Trailer Pânico 4

Este novo filme da série Pânico estreado recentemente no Brasil, é uma continuação dos filmes de terror “Pânico”, este  que teve uma nova concepção dos telespectadores com a série de filmes de comédia “Todo Mundo em Pânico” inspirados nessa série de filmes de terror.

Durante a divulgação dessa estreia ouve alguns questionamentos sobre a categoria do filme “Terror ou comédia”. (talvez a versão comédia do filme “todo mundo em pânico” tenha acabado com a admiração do público sobre esse filme de terror. assim as críticas serão mais duras com relação a esse filme).